terça-feira, janeiro 20, 2009

Dos embalos

Há dias quero publicar algo e não consigo... Ou porque estava na estrada, ou pela agenda lotada...tudo destoa da escrita, distrái meus olhos, encanta minha curiosidade, e me abre novas possibilidades...
Não preciso de mais nada...
Ando assoviando a canção de tom, em especial aquele trechinho em que ele afirma crente que quer a vida sempre assim...
Ando apaixonada...
não por nada, nem por ninguém... mas por tudo, mas por todos. Me minimizo e vejo em volta de mim tudo tão grande... tão encantador.
Me espreguiço...
Dos medos que tinha, no máximo um ainda insiste. Dos outros nada sobra. Quero mais é voar bem alto, para que se um dia houver queda, ela seja livre e alta.
Afogo...
Para embalar meus dias: bossa nova; Para acomodar meu corpo: ombros, braços, abraços; Para descansar a vista: lugares; Para embebedar minha sede: salivas; Para inebriar minha alma: companhias; Para amaciar a carne: wisky.

entregue!

"E eu que era triste, descrente desse mundo..."
(tom jobim e vinicius de morais)


2 comentários:

Carla Arend disse...

que delícia de texto, heim?!

Fabiane. disse...

né?!

:D

please, one moment