quarta-feira, dezembro 30, 2009

Vocẽ sabe o que é ter um amor, meu senhor?

o dever que chama
também é a dor que implora 
ficar um pouquinho mais.




Eu acho que amar faz mal. Deixa a gente assim... todo fraco. Não é bom economicamente e faz chorar rios hora ou outra.
E ai, veja bem, já são três bons argumentos: o desgaste psicológico, o desgaste financeiro, o desgaste físico.
Acho que relações afetivas, vão contra o crescimento econômico. Vão contra o capitalismo, vão contra o progresso.
Acho que pior que ter um amor, meu senhor, é ter amores, à distância, e mantê-los proporcionais a kilometragem e resistentes ao tempo.
É aquele querer do  improvável e impossível viver sem ter, insuportável a dor, incrível!!
Algo nunca planejado, e que corrompe todo e qualquer plano em benefício próprio.
E que independente de todas as superfícies que destrua, é a única coisa que a gente ainda se orgulha de contar, até mesmo quando perde ou abandona, por uns tempos.






Ex-amor
(Martinho da Vila)


Ex-amor
gostaria que tu soubesses
o quanto que eu sofri
ao ter que me afastar de ti

Não chorei
como louca até sorri
mas no fundo só eu sei
as angústias qu'eu senti

Sempre sonhamos com o mais eterno amor
infelizmente eu lamento mas não deu
nos desgastamos transformando tudo em dor
mas mesmo assim, eu acredito que valeu

Quando a saudade bate forte, é envolvente
eu me possuo e é na sua intenção
com a minha cuca naqueles momentos quentes
em que se acelerava o meu coração

Ex-amor
gostaria que tu soubesses
o quanto que eu sofri
ao ter que me afastar de ti

terça-feira, dezembro 15, 2009

Breve boa referência - "Fica Comigo Esta Noite"


Não que eu quissesse resenhar sobre o filme,
mas que eu precisasse falar sobre ele.





Sou uma apaixonada pelo cinema brasileiro. Nunca neguei. Assisti tanta coisa, e todas elas me tocaram de diferente modos, me emocionei, rolei de rir, assim como já detestei, mas quase sempre contrariei a critica cinematográfica cult e seletiva. Há tempos não dedicava meu tempo a apreciação de um filme brasileiro, quando numa noite mais que deprimida e com algumas lembranças (queridas) recentes engatilhadas, a Sessão Brasil embalou minhas lágrimas com o bobo “Fica Comigo Essa noite”.      Duro como o tablado, cacofônico como vídeo-arte contemporânea. Mas gracioso, delicado, doce... Tão simples, assim como direto e claro.
Adaptado da peça de Flávio de Souza, o cineasta João Falcão dedica-se a transposição do texto teatral para a narrativa do audiovisual. Sem perder a essência da teatralidade, entretanto muito bem reelaborada para o discurso audiovisual. Parece bobagem, mas "Fica Comigo essa Noite" é uma comédia romântica tão encantadora que deixa qualquer um amolecido com seus ancejos e seus bocejos. Evoca espíritos sem luz, anjos protetores, encostos, Santo Antônio e até um padre, tudo para melhor encantar e abrir os caminhos, digo, horizontes do espectador.

 Poderia entrar em detalhes e falar-lhes sobre o fantasma do coração de pedra, de Mariana, na face da delicada Clarice Falcão, du fabuleux Vladimir Brichta como Edu, e de La belle dame, Aline Moraes e sua interpretações bem enxuta de elogios. Porém prefiro destacar os pontos positivos das referências literárias e cinematográficas latentes na composição do enredo e salientar a qualidade da composição das cenas do roteiro primoroso, ambos graças a origem no teatro.
 No auge do meu romantismo quase piegas prefiro apenas dizer que recomendo! Muito recomendo!! Vale o tempo dedicado, vale alguns sorrisos bobos... Valem crenças utópicas... Valem risos gratuitos. Senhoras e Senhores, para embalar os romances natalinos, os rejuvenescedores de final de ano, ou apenas os amores de carnaval... Uma comédia romântica para curar a alma.



quarta-feira, dezembro 02, 2009

pito.


.






"rodrigotranquilo: ja te disse....não espera nada das pessoas(...),mas tu não me ouve!"











tá bem xuxu, vou começar a ouvir.. hehe
 | menção honrosa ao meu conselheiro mor|

please, one moment