quinta-feira, outubro 23, 2008

O rastro...


E assim se fez a alegria do dia,
na magia do óculos... depois de ouvir o Hebert cantar para mim e contar que as garotas do neblon não olham mais para ele por causa dos óculos...
Ele falava isso para tentar acalmar meu pobre coraçãozinho aflito sem meus olhos portáteis
Confesso que funcionou,
e de repente parei de procurar, e assim ele veio até mim, nas mãos da mãe, que me dizia: "Milagre se tu não deixasse rastros teus no meu quarto..."
Alegria pura em ver que não perdi meus óculos.. meu rastro, como disse minha mãe...
que levo até Rio Grande, quase esqueço em São Lourenço do Sul e ainda perco em Porto Alegre,
há se perco...
Até porque, Brasília é longe, já Porto dá para ir de moto..
mas a capital federal parace que não vai ter lugar para mim... Cá entre nós, uma judiaria...
mas fazer o que, C'est la vi!
queria mesmo era me perder de alegria em saber que o contorno quadrado e vermelho marcou mais do que eu imaginava.
Pode até não marcar a parede, mas pauta a conversa, o comentário, a graça...
e marca a alegria do dia do post de um blog de textos qualquer, que hoje traz fotos, só para ilustrar a vibração!


"A Alegria é o alimento da alma
Alegria é nossa grande inspiração
Alegria recompensa os sacrifícios
Alegria soberana decisão..."
(Martinália)


Yes, honey..
From me, to you!

terça-feira, outubro 14, 2008

Para formar bons condutores

Atropelando o português.

Quase três horas depois de explanações sobre de meio ambiente e cidadania, a professora enjuriada de tanto repetir aquelas questões que segundo ela nem são tão importantes porque "não caem muito no exame neh?" e possivelmente cansada de tanto repetir "cidadões" (*ai) durante a aula, resolve testar o conhecimento dos seus esforçados alunos.

Entre as perguntas, das quais o nível de dificuldade eram de saltar aos olhos até de um ceguinho, se sobresaí uma... Aliás, ousaria em defini-la como supra-sumo das interrogações, vejam vocês:

O relacionamento indireto e IMPESSOAL* entre as PESSOAS* é característica** de qual espaço?
(*grifo meu, **acentuação minha)

a) Espaços sociais
b) Sociedade
c) Núcleos sociais**
d) Esferas
e) Grupos sociais

Passados cinco ou dez minutos, o som de uma voz grave, posto à fileira posterior a minha, tenta atingir o ouvido do vizinho do lado, no entanto atinge em cheio o meu, que gravemente ferido, pensa que ali é chegada sua hora...

- "tchê, mas que que significa esse tal de nocivo?"

o tchê, responde e em seguida ele engatilha mais de sua munição contra a indefesa gramática:

- "e esse troço aqui, disturbo e molêstia que que significa?"

Não se enganem, ele não era um senhor de idade, muito menos desses que moram para além do perímetro urbano. Devia ter entre 19 e 23 anos, usava calças largas, tênis de marca, boné para o lado, brinco na orelha...
Sem ofensas aos esteriótipos, é só para que percebam que realmente não pertencia a zona rural, e muito menos a classe baixa... até porque tirar carteira de motorista hoje em dia, não é nada barato...

Eis que então passam mais dez minutos e a professora resolve corrigir a prova.


questão número 15.
Poluição é:

resposta do gabarito: a) O conjunto dos elementos do meio ambiente

questão número 21.
O relacionamento indireto e IMPESSOAL* entre as PESSOAS* é característica** de qual espaço?
(*grifo meu, **acentuação minha)
resposta do gabarito: b) Sociedade

Explico:
É que o meio ambiente, tem agora uma nova opção acoplada, o botãozinho de auto-poluir... E na verdade o certo é você respirar fumaça, banhar-se em coliformes fecais e tomar banho de sol sob a luz do buraco na camada de ozônio....
E quanto a questão 21, ora pois, você é um homem ou um rato?
então, é por isso, que a b é a resposta...



Complicado neh?
infringir as leis de trânsito é crime...
e as leis da língua portuguesa, coitadas, não servem para nada?
Ah perdão, havia me esquecido que essas leis gramáticais não passam de entraves lingüísticos, conforme o presidente. O negócio é acabar com todas elas... e daí em diante, só alegria!
¬¬


Viva Brasil: Um país de analfabetos funcionais.

please, one moment