domingo, junho 15, 2008

Das sutilezas



"Pra falar verdade, às vezes minto
Tentando ser metade do inteiro que eu sinto
Pra dizer as vezes que às vezes não digo
Sou capaz de fazer da minha briga meu abrigo
Tanto faz não satisfaz o que preciso
Além do mais, quem busca nunca é indeciso
Eu busquei quem sou;
(...)
Cuida de mim enquanto finjo que sou quem eu queria ser.
(...)
Basta as penas que eu mesmo sinto de mim
Junto todas, crio asas, viro querubim..."






e ouvir teatro mágico, eternamente.



Suave, sereno, sutil.... música para olhos, ouvidos e alma...outrora falo mais desses meus velhos conhecidos!!

Um comentário:

Caroline Kleinübing disse...

fabi!
por favor me manda o arquivo do trabalho. já espero há 5 dias!!
Pra mim poder fazer, preciso que vc me mande hj!

please, one moment